Salvos do furacão


por Marcos Schmidt

Lutero apenas quis conscientizar o povo do furacão “pecado” naquela véspera de Finados.  Ele não queria fugir para outra cidade, outra igreja, mas só alertar. Se para a maioria virou o dia das bruxas, halloween – outra ventania com olho esotérico impulsionada pelo comércio – o 31 de outubro foi escolhido pelo monge alemão para divulgar as indulgências na mídia e dizer já na primeira tese das 95: “Quando o nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo disse: ‘Arrependei-vos’ ele quis que toda a vida dos cristãos fosse um só arrependimento”. Ou seja, nada adianta só na hora do ciclone. Por isto o escabroso mercado do perdão dos pecados por dinheiro precisava de um alerta máximo – o “mensalão” que se infiltrou na igreja para obter os votos divinos. Aliás, uma ameaça constante quando tudo gira em torno dos cifrões, outro furacão que tem o olho na cobiça. Na verdade, crentes de qualquer denominação sempre serão tentados em negociatas capitalistas com o céu – por prosperidade material, bênçãos, cerimônias, bens e serviços religiosos. É preciso perceber que o comércio da terra com o céu, por práticas institucionais ou pessoais, sofre por barreira intransponível no embargo do Criador desde aquele dia quando surgiu o furacão dos furacões.

Lutero não quis ficar sozinho ao ser resgatado. Nem buscou notoriedade. “Eu peço que se silencie acerca do meu nome e ninguém se denomine luterano, mas, sim cristão. Quem é Lutero? A doutrina não  é minha, e também, não fui crucificado por ninguém”, reclamou alguém que só queria precaver o povo que ignorava o perigo eminente. Por isto a tese 32: “Serão condenados em eternidade, juntamente com seus mestres, aqueles que se julgam seguros de sua salvação através de carta de indulgência”. Mais tarde Lutero comporia o Castelo Forte inspirado no Salmo 46: “Deus é o nosso refúgio e a nossa força, socorro que não falta em tempos de aflição. Por isso não teremos medo ainda que os mares se agitem e rujam”. 

             
Rev. Marcos Schmidt
Comunidade Luterana "São Paulo"
Novo Hamburgo, RS
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração