sexta-feira, agosto 24, 2012

Graciéli Lopes supera dificuldade na conquista do diploma


Egressa das Ciências Contábeis é primeira surda a se formar


Fonte: ACS ULBRA


A história de Graciéli Lopes, egressa do curso de Ciências Contábeis da ULBRA Canoas e funcionária do setor de Contabilidade da Universidade, mostra que a vontade de buscar a qualificação profissional pode trazer muito mais do que a conquista do diploma ao final do curso. Graciéli é exemplo de superação. Para quem pensava que deficientes auditivos não têm condições de acompanhar o ritmo de aprendizado em algumas matérias, ela prova que é possível. A agora bacharel em Ciências Contábeis formou-se no último dia 18.08, sendo a primeira contadora com este tipo de deficiência diplomada pela Universidade.
Graciéli conta que começou a perder a audição ainda criança. Atualmente, ela identifica alguns sons com a ajuda de uma prótese auditiva e aprendeu a fazer a leitura dos lábios. “Fiquei 20 anos sem estudar, mas queria a profissionalização”, conta orgulhosa.
A contadora lembra que antes de vir para a ULBRA procurou outras instituições de ensino superior, mas nenhuma oferecia condições de adaptação ou intérpretes de Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Ela argumenta que as leis que garantem a qualquer indivíduo o acesso à educação existem, mas nem sempre são cumpridas. “Também ainda há muito preconceito com o deficiente que quer estudar, em função da falta de conhecimento das pessoas”, destaca. Graciéli acredita que professores e instituições precisam estar mais bem preparados para receber alunos com qualquer tipo de deficiência.
Segundo Graciéli, mesmo com o apoio de um intérprete, o início do curso na ULBRA não foi fácil. A Universidade foi a primeira instituição de ensino gaúcha a oferecer auxílio a alunos e funcionários deficientes, através do antigo Instituto de Pesquisa em Acessibilidade (IPESA), hoje Programa Permanente de Acessibilidade (PPA).


Postar um comentário