Graciéli Lopes supera dificuldade na conquista do diploma


Egressa das Ciências Contábeis é primeira surda a se formar


Fonte: ACS ULBRA


A história de Graciéli Lopes, egressa do curso de Ciências Contábeis da ULBRA Canoas e funcionária do setor de Contabilidade da Universidade, mostra que a vontade de buscar a qualificação profissional pode trazer muito mais do que a conquista do diploma ao final do curso. Graciéli é exemplo de superação. Para quem pensava que deficientes auditivos não têm condições de acompanhar o ritmo de aprendizado em algumas matérias, ela prova que é possível. A agora bacharel em Ciências Contábeis formou-se no último dia 18.08, sendo a primeira contadora com este tipo de deficiência diplomada pela Universidade.
Graciéli conta que começou a perder a audição ainda criança. Atualmente, ela identifica alguns sons com a ajuda de uma prótese auditiva e aprendeu a fazer a leitura dos lábios. “Fiquei 20 anos sem estudar, mas queria a profissionalização”, conta orgulhosa.
A contadora lembra que antes de vir para a ULBRA procurou outras instituições de ensino superior, mas nenhuma oferecia condições de adaptação ou intérpretes de Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Ela argumenta que as leis que garantem a qualquer indivíduo o acesso à educação existem, mas nem sempre são cumpridas. “Também ainda há muito preconceito com o deficiente que quer estudar, em função da falta de conhecimento das pessoas”, destaca. Graciéli acredita que professores e instituições precisam estar mais bem preparados para receber alunos com qualquer tipo de deficiência.
Segundo Graciéli, mesmo com o apoio de um intérprete, o início do curso na ULBRA não foi fácil. A Universidade foi a primeira instituição de ensino gaúcha a oferecer auxílio a alunos e funcionários deficientes, através do antigo Instituto de Pesquisa em Acessibilidade (IPESA), hoje Programa Permanente de Acessibilidade (PPA).


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração