Só se você deixar


“A filha veio, chorando, queixar-se para o pai. Havia sido chamada pelo irmão maior de um nome que ela detestava. Depois de ouvir o lamento, o pai perguntou qual era o tal nome. E então a chamou do mesmo jeito.
-Ué? Você não ficou brava comigo? Eu disse o mesmo nome que ele! – disse o pai.
-Não, papai.
-Por que?
-Eu não sei....
O pai então, olhando nos olhos da filha, mostrou:
- Como você viu, querida, ouvir um nome ou uma frase não é o suficiente para nos deixar mal. Você tem que decidir se vai achar ruim ou não. Então, isto vai te chatear e incomodar só se você deixar.”

Tudo bem, às vezes é inevitável que, ao percebemos a raiva, o desprezo, a malícia nas palavras do outro, nos deixarmos chatear. Mas esta verdade é difícil de contrariar. A maioria das coisas só nos agride se nós deixarmos. Estes exemplos comprovam este fato.
-Escuta aqui, meu filho... (na boca de alguém raivoso)
-Escuta aqui, meu filho! (Deus)

-Espera só o que eu vou fazer pra você! (alguém raivoso)
-Espera só o que eu vou fazer pra você! (Deus)

-É, queridão, agora tu vai ver o que é bom! (alguém raivoso)
-É, queridão, agora tu vais ver o que e bom!(Deus)

-Eu vou estar com você todos os dias (alguém raivoso ou vingativo)
-Eu vou estar com você todos os dias (Deus)

Para as horas nas quais o que não é bom nos abater, Jesus é o ombro certo e o ouvido amigo onde podemos nos queixar e lamentar. Porque Dele recebemos palavras boas, certas, sem raiva, sempre com amor, e que nos fazem ver o valor que Ele nos atribui, garante e mantém.  

É com estas boas palavras, é com estes princípios seguros, que as relações familiares podem ser fortalecidas, cultivadas e nutridas. Desta forma podemos colocar de lado o que prejudica e deixar entrar pela porta da frente tudo o que contribui. Pais que deixam seus filhos expostos a esta orientação segura aumentam as chances de no futuro, verem adultos que não deixam qualquer palavra os abater.

Por palavras assim, não tenho dúvida, todo mundo gosta de se deixar atingir.







Pastor Lucas André Albrecht
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração