Prosperidade e vitoria

A entrevista é fictícia. O contraponto é real.


Pastor - Estamos hoje com o sr. João, um cristão que freqüenta nossa Igreja e que vai nos dar um testemunho de sua vida cristã. Sr. João, sendo freqüentador de nossa Igreja já há algum tempo, está vivendo um momento tranqüilo em sua vida? Tem emprego, salário, boas condições gerais?
J – Sim, pastor, um momento muito bom, tudo isto está mais ou menos bem encaminhado. Mas olha, não tem a ver com eu freqüentar esta igreja. Mesmo antes já havia uma certa tranqüilidade em minha vida.

P - Mas  desde que você veio aqui, sua vida ficou mais vitoriosa, não ficou?
J – Olha, nem sempre.. Há momentos de dificuldades e momentos de muita alegria. Mas não tem vinculo direto com ir ou não ir na igreja, como se ir na igreja toda a semana sempre gerasse vitórias, e o contrário, não. Vencer ou perder faz parte da vida, também da vida de um cristão.

P – Quer dizer que o senhor, mesmo sendo cristão tem derrotas? Mas a Bíblia não promete vitórias a quem crê?
J –  Tenho derrotas, sim. Se não atleta de Cristo não perderia campeonato. A vitória maior Cristo já conquistou por todos e é atribuída a todos pela fé. A partir disso, vencer e perder faz parte do cotidiano. Perder não é sinal de estar sem Deus. Que Deus seria esse que, no momento em que mais preciso, na derrota, na fraqueza, me deixaria na mão? “Passe a vencer que eu estarei contigo”? Deus não é assim.

P –  Ah, mas se o sr. está bem assim então  porque é fiel no dízimo, é isso?
J – Não, nada a ver com isso. Já me aconteceu muitas vezes de falhar na oferta, por esquecimento, por não conseguir, ou outro motivo. Nem sempre consigo dar o quanto gostaria, fico abaixo da porcentagem que me propus. E mesmo assim Deus tem me abençoado. Aliás, não é todo domingo que consigo vir aos cultos, às vezes falho, por motivos como fraqueza, momentos difíceis de minha vida... Nem por isso deixo de sentir que Deus continua presente.

P – Hum..bem, não estou entendendo...o sr tem está bem mesmo não sendo sempre fiel no dizimo e mesmo não vindo toda semana na Igreja? A que o Sr. atribui isso?
J – A Deus, pastor. Sem dúvida nenhuma é tudo por causa dele. Não consigo fazer tudo certo, erro muito. Mas se não fosse por Deus, não teria nem seria nada. Tudo o que tenho e sou vem dele. Procuro fazer o certo e corrigir o que está errado, mas não tenho como merecer nada. Só posso atribuir tudo a Ele.

P – Quer dizer que ir à Igreja, então, não é importante?
J – Claro que é importante, é fundamental. Existe até um mandamento especifico sobre isto, o terceiro, “Santificar o dia de descanso”. É fundamental freqüentar uma Igreja cristã para ouvir a Palavra, receber o sacramento, ouvir palavras que alguém outro me diz. Existem muitos benefícios em se freqüentar uma igreja, e todo aquele que se diz ou quer ser cristão, deveria procurar, com toda alegria, fazer isto regularmente.

7 – O sr. concorda com a frase: “O que é de Deus, o homem não tem força nenhuma pra fazer. Mas o que é do homem, Deus não move nem uma palha”?
J – Não concordo com esta frase. A Bíblia diz que “é Deus quem efetua em nós tanto o querer como o realizar”. Existem, sim, as nossas responsabilidades. Mas não mexeríamos nenhuma palha sozinhos se não fosse por Deus. É melhor pensarmos como o apóstolo Paulo. “Tudo posso naquele que me fortalece”. Deus quer nos impulsionar nesta fé a fazermos sua vontade.

8 – Qual o recado que o sr deixa para quem busca solução para os seus problemas?
J –  O Salmo 37.5 diz: “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele e o mais Ele fará”. Crer e confiar em Deus, esta sim, é a maior e melhor prosperidade, alegria, segurança que uma pessoa pode ter.

Pastor Lucas André Albrecht

Assista em video


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração