Super-herói

Por Herivelton Regiani


Nos últimos anos, um tipo de filme que tem lotado os cinemas é aquele que traz histórias de super-heróis.

Originários das revistas em quadrinhos, os super-heróis impressionam com seus poderes, que ganharam em mutações, acidentes, experiências ou até de deuses da mitologia. Mas esses seres poderosos também mostram fraquezas bem humanas: a raiva, a sede de vingança, as paixões não realizadas, o orgulho ou até alguma substância à qual tenham “alergia”, que lhes faça passar mal.

Há especialistas que afirmam que nós gostamos de vê-los porque nos animam com a idéia de superar nossos próprios obstáculos. Também dizem que eles nos seduzem com sua beleza e poder. E há quem critique as histórias dizendo que elas defendem o modelo de vida e de sociedade dominante. Qualquer que seja a explicação, o fato é que ver estes filmes é uma gostosa fantasia. 

Pena que, na vida real, a gente não tem toda hora um herói para nos salvar... ou será que tem?

Em uma proporção bem maior e mais duradoura, temos um grande herói. Ele já nos salvou. Ele acompanha toda a nossa vida. Ele nos anima diante dos problemas que temos em todo o tempo, e não só nas poucas horas em que dura um filme. Esse herói “mais-do-que-super” não tinha nenhuma fraqueza, mas assumiu as nossas. É o herói Jesus! Ele não precisa de capa e roupas coloridas, nem de efeitos especiais para nos impressionar. Também não precisa esconder sua verdadeira identidade. Já se mostrou à humanidade uma vez por todas, em uma vida de humildade, usando seu poder no tempo certo. Hoje e para sempre, ainda continua a mostrar o seu amor.

A gente curte e se diverte no cinema e nos gibis com as histórias dos super-heróis. Mas pode viver uma aventura muito maior, a da vida, com o Herói de verdade.


Rev. Herivelton Regiani
Capelão do Colégio Ulbra Cristo Redentor
Canoas, RS


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração