Pé no freio

O que fazemos quando o trânsito subitamente fica lento, a descida é muito íngreme, o cachorro atravessa a rua ou a criança começa a correr atrás da bola?
Pé no freio.

O que fazermos ao receber uma ‘informação’ quentinha, uma noticia em partes ou uma oportunidade de julgar?
Pé no freio?
Hum, nem sempre, não....

Nossa língua e nossas mãos conseguem, em muitas situações, ser mais rápidas que nosso freio e, quando vemos, já passamos adiante a história que deveria ser observada com mais precisão. Não somos bons em freio. Gostamos mais de acelerador. E da embreagem, para aumentarmos a marcha, descuidando dos perigos que podem nos fazer derrapar. Mas tem horas que é preciso ir ao freio. Com força, com convicção. Para evitar o atropelo do bom senso e da razão.

Pé no freio. Foi isso que Jesus Cristo fez quando deu sua vida pela humanidade. Freio no pecado, que indicava a estrada sem volta, e deu nova direção, o caminho que conduz à vida. Para isso, não se esquivou de pisar fundo no acelerador. Foi até o final em sua obra de amor para que não restasse curva de dúvida ou buraco de indecisão: o amor do Pai é pleno e perfeito em nossa direção. Seguindo com Ele o freio fica mais ao alcance, e, quando esquecido, há sempre a oportunidade de perdão.

À medida em que colocamos o pé na estrada, portanto, vale a pena manter a mão na consciência. E a prudência no coração.



Pastor Lucas André Albrecht

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração