Inaugurada a mostra Nem Tão Doce Lar



Fonte: ACS Ulbra

Foi inaugurada a Mostra Interativa Nem Tão Doce Lar, promovida pela Pró-reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da ULBRA e Fundação Luterana de Diaconia (FLD), no saguão do prédio 6 do campus Canoas. Diversas autoridades estiveram presentes na cerimônia na manhã desta quarta-feira (18/05). A entrada é gratuita.

Foto: Natacha Teske
O objetivo da mostra é debater a violência doméstica no Brasil. Dentro do espaço montado, simulando um lar, existem diversos cartazes com informações relevantes para o debate, como por exemplo: 80% das agressões que as mulheres sofrem são dentro do lar; o risco de uma mulher sofrer qualquer tipo de violência é nove vezes maior dentro do ambiente doméstico do que nas ruas; o número de mulheres vítimas de violência doméstica é maior do que o número de mortos em todos os conflitos armados (guerras) na história; a cada 12 segundos uma mulher é violentada no Brasil; dentre tantos outros.
O secretário municipal de Educação de Canoas, Paulo Ritter, salientou a importância da Universidade cumprir seu papel com a sociedade. "Fico feliz em cumprimentar a todos, em especial ao Reitor, que capitania esta equipe que realiza um trabalho que orgulha a todos em nosso município. A ULBRA honra seu compromisso social onde ela está inserida. Debater a pauta da violência nos dias atuais é extremamente necessário e uma prova de que a Universidade está atenta às demandas da sociedade", comentou.
Para o secretário executivo da Fundação Luterana de Diaconia, Carlos Bock, a discussão sobre o tema é fundamental para termos uma sociedade melhor. "Temos apoiado projetos nacionais e vemos o Brasil dar passos largos em direção ao desenvolvimento. Neste cenário existem muitos atores fundamentais que não têm tido tanta voz neste processo, então buscamos de alguma forma fortalecer este movimento. O desenvolvimento passa pela família, passa por debatermos a violência doméstica. Quando vamos discutir o tema, muitos dizem que não se deve meter a colher, mas é preciso fazermos nossa parte para construirmos uma saída para este problema", finalizou.
Já o reitor da ULBRA, Marcos Fernando Ziemer, destacou que o papel da ULBRA é transmitir e construir conhecimento. "Queremos cada vez mais levar a Universidade para a comunidade e trazer a comunidade para dentro da Instituição. Entendemos que produzimos muita coisa boa aqui dentro com nossos alunos e professores, e temos o compromisso de interagir e compartilhar estes saberes colhendo o conhecimento. O lar tem um papel fundamental para a construção de uma sociedade forte. As famílias devem ter uma participação efetiva neste debate, pois uma família que é construída em cima de pilares concretos acaba tendo um real lar doce lar", finalizou.
Através da representação de um ambiente doméstico – uma sala de estar, o quarto de casal, quarto de crianças, a cozinha e banheiro –, onde tudo está em ordem aparente, são identificados indícios e provas de violência familiar. Desta forma, se busca denunciar junto ao público em geral que a violência doméstica pode acontecer em qualquer lar, e que ninguém está isento.
A mostra interativa Nem Tão Doce Lar nasceu a partir de uma exposição internacional chamada Rua das Rosas (Rosenstrasse), criada pela antropóloga alemã Una Hombrecher, com o apoio da agência Pão para o Mundo (PPM). Com o trabalho da Fundação Luterana de Diaconia (FLD) e de grupos parceiros, a exposição recebeu um enfoque brasileiro.
A Mostra Interativa Nem Tão Doce Lar, que é importante para a formação de cidadãos comprometidos com a realidade que os cerca, tendo como perspectiva a intervenção e transformação social, poderá ser visitada até o dia 03 de junho, das 9h às 21h15, no saguão do prédio 6 da ULBRA Canoas. Outras informações sobre a mostra podem ser obtidas através do telefone 51 3477.9103.



Gabriel de Mello
Imprensa ACS
ULBRA Canoas
51 3477 9167

Violência doméstica é debatida na ULBRA
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração