sexta-feira, março 25, 2011

Cheiro de filho

por Peterson Machado


Muitos haviam me falado sobre a maravilha que é ser pai. Nunca duvidei disso, mas confesso que jamais consegui compreender completamente até que vi o meu filho pela primeira vez e tive a oportunidade de sentir o seu cheiro. Acredito que não existam palavras para descrever perfeitamente este sentimento. É único. É pleno. Lembro-me de certa vez em que minha mãe estava me corrigindo e disse: “você só vai compreender o amor de um pai quando tiver o seu próprio filho!”. Hoje eu sei que ela tinha razão.

Deus nos deu a capacidade de amar os nossos filhos. Muito mais que dar continuidade a raça humana, filhos significam o compartilhar de um amor eterno que o Pai sente por todos nós. Não éramos seus filhos, mas Ele nos adotou por meio de Jesus Cristo. Sentiu o nosso cheiro, nos amou desde o princípio e se doou por nós. 

Há pouco tempo tive a honra de conhecer Dona Tereza, uma senhora humilde, mãe de treze filhos, dos quais, nove foram adotados. Um dos maiores exemplos de amor e solidariedade que já presenciei. Ela me disse: “todos são meus filhos, a diferença é que uns saíram de dentro de mim e outros não, mas amo a todos da mesma forma”. Um contraste diante de tantos pais que jogam seus filhos em rios e latas de lixo.

De qualquer forma, permanece a lição: seja qual for a maneira pela qual Deus nos deu ou dará a oportunidade de sermos pais, saiba que é uma chance de provarmos um amor sem medidas! Como um cheiro suave que nos leva a conhecer um pouco mais este infinito amor que o Pai sente por nós.


Rev. Peterson Douglas Machado
Capelao da Escola Ulbra Concórdia
Candelária, RS

pastoralcandelaria@ulbra.br
Postar um comentário