quinta-feira, novembro 04, 2010

Porquê

Foram 5 anos e 4 meses. E semana passada, finalmente, retirei por completo o aparelho ortodôntico.


Quem está usando sabe; quem já usou, ainda mais, o que este tratamento representa em termos de incômodo, desconforto ou dor. Mas ele também trouxe uma ilustração interessante.

Quando estamos em tratamento, podemos focar apenas no desconforto, incômodo e problemas que usar um aparelho na boca podem causar, sem enxergar um propósito. Aí, não teria porque nos sujeitarmos a isso por tanto tempo.
Ou então podemos ver que todo o sofrimento e dor têm um propósito, lá na frente: ter a boca arrumada, dentes alinhados, sorriso perfeito. Afinal, é para isso que começamos o tratamento.

Mesmo que haja dor, dificuldade e vontade até de desistir, queremos chegar naquele ponto lá adiante. Dure o tempo que durar.

Dor, incômodo e sofrimento fazem parte da vida. O problema é se não vemos na vida em si nenhum propósito. Se estamos aqui só por estar, sem um porquê e sem um futuro, de fato, não faz sentido. É melhor desistir ou procurar apenas o que, certo ou errado, dá prazer e boas sensações. Mas quando vemos que, em Jesus Cristo, Deus construiu um propósito de vida para o ser humano, e promete uma nova vida, eterna, então tudo muda. Mesmo que haja o que nos desconforta, sabemos que, vivendo nesta fé, estamos nas mãos de Quem nos conforta e nos aponta o caminho em frente. Rumo as seus braços e à alegria que não tem fim.

Pode a dor ou desconforto durar 4 meses, 5 anos, o tempo que for. O amor de Deus dura muito mais. Dura para sempre.

Mantendo isto em mente – e no coração -, sempre teremos o porquê.
 
Postar um comentário