Achador

Caçadores de aventuras, de recompensas, de emoção. Muitos na história já receberam títulos parecidos. Fernão Dias Pais foi um deles - bandeirante que entrou Brasil adentro, pelos anos 1600, em busca de pedras preciosas. Foi registrado na História com o apelido de “O Caçador de esmeraldas”

Se fosse eu, creio que preferiria ter sido conhecido como o ‘Achador de Esmeraldas”..

Pois Fernão Dias, na sua grande bandeira de 1664, achou, sim, suas desejadas pedras verdes; esmeraldas. Mas morreu em 1681 sem saber eram apenas pedras sem valor. Caçou, mas não achou de fato.

No passado, já existiram caçadores de cristãos. Pessoas que perseguiam, prendiam e, em muitas vezes, matavam pessoas pelo ‘crime’ de confessarem e viverem sua fé.

E este título é bem adequado, ‘caçadores de cristãos’. Se bem que muitos foram caçados, presos e mortos, nem os cristãos nem o cristianismo jamais foram achados e derrubados por seus caçadores. Sobreviveram, seguiram, cresceram. Isto porque os caçadores de cristãos em geral não sabem que eles são achadores. Encontraram tesouro sem preço em que lhes foi dado de graça, porque primeiro foram achados por Aquele que pagou este preço. O Mestre é o ‘Achador’ de perdidos e desesperançados, fazendo deles achadores, recebedores de um prêmio que dura pra sempre.

É o caso em que todos os dias são da caça. E nenhum do caçador.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração