Fundamento

Walter e Ana foram nossos afilhados de casamento. Walter formou-se em Teologia e foi trabalhar como missionário no Caribe. Pouco tempo depois, ele e Ana se casaram. Estavam juntos há 2 anos num país da América Central, que foi atingido pelo terremoto da noite passada.

Mas não é o Haiti, e sim, o país vizinho, República Dominicana. Na mesma ilha.

Escreve o colega Walter Ries Jr: “Aqui na Republica Dominicana não afetou tão forte. Mas foi a primeira vez que senti a terra tremendo debaixo dos meus pés (Eu estava na rua, quando senti parecia que eu estava tonto e quando olhei para o meu carro que estava estacionado, vi que ele tremia de um lado para outro). Estamos muito preocupados porque temos muitas famílias de Haitianos trabalhando aqui e eles não conseguem contatos com os seus familiares em Haiti. À noite tinha um alerta vermelho sobre um possível tsunami, mas há poucas horas foi retirado. Estamos bem, não afetou nada aqui na Republica, só o susto e o terremoto mais suave.”

O que para nós é alívio, saber que os amigos estão bem, para milhares de pessoas, as noticias não horríveis. A primeira frase do email dele foi: “A situação no Haiti é muito feia”. Desde Zilda Arns e os outros 11 brasileiros já confirmados, até os 100.000 mortos, numero parcial já confirmado pelo primeiro ministro do país, famílias e amigos choram a perda e a dor.

Perguntar os ‘por quês’, nestas horas, é até um direito humano, mas dificilmente levará a alguma resposta alentadora. Talvez o melhor sejam duas outras ações, mais importantes e úteis. Uma delas menciona Walter: “pedimos oração pelo povo haitiano”. A outra, ajudar no que for possível, como dezenas de nações e entidades do mundo inteiro estão fazendo.

Principalmente, pedir que Ele mantenha sempre firme a nossa fé. Crer em Deus não garante emprego, saúde, família ou dinheiro sempre. Mas garante sempre o que ninguém pode dar quando todos eles falharem.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida