Me dá uma mão?

É o tipo de expressão que não pode ser entendida ao pé da letra, se não o problema é grande. Mas que traduz uma das necessidades mais profundas do ser humano: receber ajuda.

Alguns precisam de uma mão para trocar um pneu, trocar uma lâmpada. Outros, carregar um sofá ou subir num barco. Crianças precisam de uma mão adulta para atravessar a rua, idosos, para descer uma escada. Adultos precisam de ajuda para as tarefas que não podem realizar sozinhos.
Há também as mãos para o lado errado. A mão do traficante desviando um jovem. A mão para acobertar o corrupto. A mão que indica o caminho que termina em becos escuros de solidão.

O fato é que todo mundo precisa de uma mão, quer admita ou não. Claro, sem deixar de reparar em que braço está presa, para ter certeza de que vai ser uma ajuda com precisão.

Deus estende as duas mãos para nos acolher e abraçar porque sabe o quando nossa vida precisa de receber uma mão. Aliás, uma, não, é A mão, que nos coloca no lugar certo, conduz pelo caminho certo e leva a corrigir o que está errado. Especialmente nossa maior dificuldade - receber uma mão para saber reconhecer. “Me dá uma mão?” é uma frase que pouco se ouve quando se trata de admitir. “Estou errado”. “Preciso mudar”. “O problema está em mim”. “Você tem razão”.

Mão que se estende em nossa direção estando nós ainda sem forças. Quando conseguirmos pedir, é porque já está lá, para sustentar e abraçar; e também para colocar em nossa vida pessoas de braços estendidos, para as horas de maior necessidade. Pois mãos são como farmácia; pode ser difícil, mas sempre se encontra uma aberta.

Quando recebemos esta Mão, portanto, já sabemos que vamos contar com o braço inteiro.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Inveja e justiça