'cano' certo

Uma bebida gaúcha típica que, com a água na temperatura certa, mesmo sendo um tanto amarga, tem um gosto agradável, sendo também socializante, reunindo pessoas para conversar e trocar idéias.

Uma bebida com potencial letal elevado, sendo um perigo para a saúde. Capaz de deixar o chimarrista sem fôlego e, inclusive, pensar que poderá morrer devido à sua ingestão.

Especialmente você, que é de fora do RS, qual descrição do chimarrão utilizaria, tendo um primeiro contato com ele? Acredito que a primeira, se tivesse uma experiência normal.

Mas talvez utilizaria a segunda, se fosse o Pastor Bruce.

O colega capelão Bruce Peffer, da Concordia University, de Austin, visitou o Brasil no mês de maio. Esteve conosco por 5 dias, após passar por outros estados. E foi no primeiro dia que tudo aconteceu.
Ele contou que já no primeiro dia em solo brasileiro, recebeu uma cuia de chimarrão. Como bom turista, querendo conhecer os costumes locais, aceitou e tentou. Com bom turista igualmente, puxava, puxava, e não conseguia obter a água quente. Até que numa tentativa em que estava mais ‘relaxado’, achando que nada viria mesmo, algo veio. Àgua e erva. Só que, como costumamos dizer, entrou pelo ‘caninho errado’. A traquéia.

Já conhecemos o desespero de alguém que se engasga com algo. Agora se este alguém for um estrangeiro recém-chegado, tentando conhecer os costumes de um pais diferente, dá para imaginar o tamanho deste desespero... No fim deu tudo certo. Mas foram alguns segundos de pânico para este nosso colega.

Erva e água quente no ‘cano’ certo, perfeito! Erva e água quente no ‘cano’ errado....perigo!

O mesmo vale para a vida, quando direcionamos para o lado errado aquilo que está aí para nos fazer bem. Nosso corpo, nossos talentos, qualidades. Os bens materiais que Deus coloca em nossas mãos. As oportunidades. Se forem mal direcionadas, podem nos fazer errar, perder o rumo, ‘engasgar’. E até mesmo correr risco muito sério.

Neste sentido, a fé é o ‘cano certo’ pelo qual Deus escoa todo o seu amor. Assim, nos fortalece e orienta ao canalizarmos também para o melhor uso tudo o que Ele coloca em nossas mãos. E o mais interessante é que, neste caso, até de coisas aparentemente negativas ou sem uso podemos fazer grandes oportunidades de serviço, auxílio e cuidado. Basta que este ‘cano’ certo esteja sempre desobstruído para nos conduzir pelo Caminho que Jesus nos dá.

Presentes de Deus canalizados corretamente são, portanto, melhores que um bom chimarrão.

E olha que chimarrão - eu garanto - é coisa bem boa.
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração