Toque de vida: a coisa certa

A coisa certa

“Darius e Johntel têm bastante em comum. Ambos são ótimos alunos de ensino médio. Ambos adoram basquete. Ambos são capitães de seus times. Mas em um sábado à noite, em fevereiro de 2009, ficaram ligados para sempre nas mentes das pessoas presentes naquela noite de um grande gesto de coragem, espírito esportivo e respeito


O time de Darius, de uma pequena cidade de Illinois e o de Johntel, de uma metrópole de Wisconsin, tinham uma partida agendada. Mas ela quase não aconteceu. Algumas horas antes do jogo, a mãe de Johntel faleceu, após cinco anos de batalha contra a leucemia. A morte dela foi súbita e devastadora para todos que a conheceram, e o técnico de Johtnel quis cancelar o jogo. Mas ele, não. Pediu que jogassem e tentassem ganhar.

O que o time não estava preparado era para o fato de Johntel aparecer no ginásio no meio do primeiro tempo.

Logo que o viu, o técnico pediu um tempo e os jogadores e amigos o cercaram com carinho e apoio. O treinador pediu se ele queria sentar no banco com os colegas para acompanhar o jogo.

“Não”. Disse ele. “Eu quero jogar”.

Imediatamente todos ficaram empolgados. Mas para o capitão poder entrar sem estar com o nome previamente inscrito, o time seria punido com falta técnica e com dois lances livres para o adversário. O time de Darius entendeu a situação e disse para os árbitros esquecerem a falta e os lances. Mas os juízes disseram que regra era regra, precisava ser cumprida antes de o jogo continuar. Talvez pela primeira vez na história do basquete árbitros tiveram que forçar um time a aceitar lances livres

O técnico então pediu um voluntário para os arremessos. Darius, o capitão, ergueu a mão. Talvez aquela seria a oportunidade de se aproximarem no placar. Ou até mesmo para adicionar pontos às estáticas pessoais.

Mas o que se viu foi um momento único. Darius pegou a bola e foi para a marca do lance livre. Seu primeiro arremesso foi de menos de 2 metros. No segundo, a bola mal saiu de sua mão e caiu no chão, rolando até à linha de fundo

Imediatamente, Johntel, o time, o ginásio inteiro entendeu o que Darius estava fazendo. Então, de pé, todos aplaudiram aquele gesto de espírito esportivo enquanto ele caminhava de volta para o banco.

“Fiz isto pelo cara que perdeu sua mãe”, contou ele aos jornais. “Era a coisa certa a ser feita."

No fim, o time de Johntel venceu por 15 pontos. Mas na pizza e refrigerante após o jogo, enquanto os dois times confraternizavam, nenhum atleta estava preocupado com vitoria ou derrota.

‘Esta foi uma noite que nossos alunos levarão para a vida inteira’, disse o técnico de Darius. ‘Eles poderão não lembrar de nossas vitórias e recordes daqui a 20 anos. Mas lembrarão do que aconteceu naquele ginásio, naquela noite’.”

A coisa certa. Deus nos dá tantas oportunidades de fazermos exatamente isto: a coisa certa. Nem sempre aproveitamos. Mas que bom que Ele sempre continua a oportunizar.

O mundo está precisando.

Fonte da ilustração

Frase:

“É amargo perder um amigo para o mal antes de perdê-lo para a morte.”

Mary Renault

www.toquedevida.blogspot.com

Pastor Lucas André Albrecht

*****************************

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Inveja e justiça