Escolas Confessionais e Ciência

"Debatendo com Roseli", ótimo texto do blog de Reinaldo Azevedo contrapondo a professora Roseli Fischmann, que coordena a área de Filosofia e Educação da pós em Educação da USP e comanda o grupo de pesquisa do CNPq ‘Discriminação, Preconceito, Estigma’”. A professora redigiu ainda “o conteúdo do tema transversal Pluralidade Cultural dos Parâmetros Curriculares Nacionais”.

Azevedo mostra que as escolas confessionais não se contrapoem a ciência e têm seu direito incontestável de mostrarem suas convicções.

Texto na íntegra.

Trechos:

"...conheço uma escola judaica — e não declinarei o nome por motivos óbvios — que ensina Darwin aos alunos pêlo por pêlo daquele ancestral comum que, consta, partilhamos com o chimpanzé. Eles estão preparadíssimos, por exemplo, para enfrentar um exame público — vestibular ou qualquer outro. E essa mesma escola não abre mão — como fazem outras, algumas de denominações protestantes — de afirmar “a verdade revelada”. E NÃO HAVERÁ DEMOCRACIA NO MUNDO, ROSELI, QUE VÁ, EM NOME DA TAL “FUNÇÃO SOCIAL”, IMPEDIR A ESCOLA DE EXERCER A SUA CONVICÇÂO. Noto que a professora fala de uma divisão entre o “núcleo de estudo da parte científica” e o “núcleo da parte religiosa” como se a divisão tivesse caído... do céu! O céu de Roseli. Como se ela tivesse recebido as tábuas da lei, escritas pelo fogo divino. BEM DISSE A PROFESSORA: “Como aquilo é um espaço privado, seria incoerente lutar contra esses símbolos ou contra uma reza antes da aula, por exemplo. Se os pais não querem aquilo, devem procurar outra instituição.”

"1 – Quem disse que os professores das escolas religiosas estão misturando os conceitos? Essa é apenas uma ilação;
2 – Olhem com que sem-cerimônia ela expõe as convicções não-religiosas de mundo, considerando-as verdades absolutas. Embora o faça justamente quando exalta as virtudes da dúvida: “Uma boa dúvida é a pérola do mundo científico”. É? Será que as religiões nunca duvidam?
3 – E agora o melhor: “Se, do ponto de vista religioso, existe alguém infalível, isso é para as pessoas que acreditam. Quem acreditar será respeitado por isso, mas não se pode querer que todo o mundo esteja dentro dessa lógica.” SUA AFIRMAÇÃO SÓ FARIA SENTIDO SE ESTIVESSE ABORDANDO AS ESCOLAS LAICAS, DO ESTADO. MAS, DESDE SEMPRE, ESTAMOS FALANDO DE ESCOLAS RELIGIOSAS. PODE-SE ACHAR UMA BOBAGEM, UMA ESTUPIDEZ, UM ATRASO, MAS NÃO HÁ DEMOCRACIA NO MUNDO QUE IMPEÇA ESSES ESTABELECIMENTOS DE ENSINO DE CULTIVAR SUAS CONVICÇÕES E VALORES. Só os totalitários usaram e usam a educação como pretexto para, sob o manto do triunfo da ciência, atingir a liberdade de crença. Reitero: não sou presbiteriano, não sou batista, não sou judeu... As escolas ligadas à Igreja Católica já fizeram, para ser sintético e até jocoso, Darwin ser uma manifestação de Deus. DESTACO DE NOVO: MINHA DIVERGÊNCIA COM ESSA ABORDAGEM NÃO É RELIGIOSA. MAS NÃO ME VENHAM USAR A CIÊNCIA PARA TENTAR TOLHER AS ESCOLHAS.

Ademais, quem disse que esse mundo de Roseli é neutro?As questões que ela propõe fazem sentido, sim, mas para as escolas laicas, como é a pública."
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida