Só se você deixar

A filha veio chorando queixar-se para o pai. Ela havia sido chamada pelo irmão maior de um nome que ele detestava. Depois de ouvir o lamento, o pai perguntou qual era o nome. E então a chamou do mesmo jeito.
-Ué? Você não ficou brava comigo? Eu disse o mesmo nome que ele! – disse o pai.
-Não, papai.
-Por que?
-Eu não sei....
O pai então, olhando nos olhos da filha, mostrou:
-Como você viu, querida, ouvir um nome ou uma frase não é o suficiente para nos deixar mal. Você tem que decidir se vai achar ruim ou não. Então, isto vai te chatear e incomodar só se você deixar.

Há tantas coisas básicas que aprendemos na infância, e que a vida adulta insiste em tentar nos convencer que tudo é diferente, não?

Está certo, às vezes é inevitável constatarmos a raiva, o desprezo, a malícia nas palavras do outro. OU até nas nossas... E nos deixarmos chatear.

Mas a verdade continua a mesma. A maioria das coisas só nos agride se nós deixarmos.
Uma pequena prova disso.

-Escuta aqui, meu filho... (na boca de alguém raivoso)
-Escuta aqui, meu filho! (Deus)

-Espera só o que eu vou fazer pra você! (alguém raivoso)
-Espera só o que eu vou fazer pra você! (Deus)

-É, queridão, agora tu vai ver o que é bom! (alguém raivoso)
-É, queridão, agora tu vais ver o que e bom!(Deus)

Para as horas em que deixamos o que não é bom nos chatear, Jesus sempre tem o ombro certo e o ouvido amigo onde podemos nos queixar, lamentar. Porque lá também vamos ouvir Dele palavras boas, certas, e que nos fazem ver o valor que Ele nos atribui, garante e mantém. Para estarmos seguros de quem nós somos, o amor que recebemos e muitos belos nomes e adjetivos que podemos compartilhar com nosso próximo.

Palavras assim - não tenho dúvida – todo mundo gosta de se deixar atingir.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Inveja e justiça