Pão e Palavra

Pão.
Palavra que sinaliza a presença e importãncia do alimento, do sustento, em nossa vida. Este produto da farinha resume em três letras todos os nossos anos de luta por existência e subsistência física. Até mesmo Jesus fez isso, quando nos ensinou a pedir sustento com a frase “o pão nosso de cada dia nos dá hoje”. Por isso, creio que faz parte constante de nossos pedidos a Deus o pão que não pode faltar.

E por palavras, alguém de nós pede ao Pai? Hum...não sei se muito.
Mas poderíamos.

Pois, se é certo que não vivemos sem pão, também não vivemos sem palavra. Nossas necessidades vitais mais profundas incluem ouvirmos vozes humanas que nos ajudam a abasteceremos a vida. “Parabéns, muito bom!” “Eu te admiro muito”. “Obrigado!” “É muito bom contar com você.” “Você está errado, precisa se corrigir”. “Você é alguém especial”. “Eu te amo”., “Eu te perdôo”. Sem palavras, sem sentimentos, nossa razão pode começar a se perceber sem sentido.

O pão nos satisfaz muitas necessidades, mas um efeito jamais pode causar. Alimento emocional. E outro, ainda mais importante, o alimento para a alma. Aì, são as Palavras que vêm do Alto que preenchem bem o nosso prato. E oferecem um banquete para o coração. Se o pão gera energia para o corpo, a Palavra, sustento para a alma. Não só de pão a gente vive, portanto, mas também das Palavras que vêm da boca de Deus. E elas chegam, numerosas como grãos de trigo. Fortalecem a fé, animam a vida, ressoam no peito. Numa massa consistente e sempre especial.

Pão para o corpo. Palavra para o todo. Par perfeito para uma vida integral.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração