Minutos



7 minutos de terror.

È como a NASA chama o tempo em que leva uma nave espacial para entrar na atmosfera de Marte, frear, e tocar o solo. É o que vai enfrentar a Mars Pheonix Lander, no próximo domingo. Anos de preparação e nove meses de viagem da missão que foi enviada vão se decidir nestes 420 segundos em que a nave tentará uma aterrissagem segura em solo marciano.

Peter Smith, da agência espacial americana, diz que não se sente confiante, mas que está otimista. Ed Weiler, administrador associado, declarou: “Tudo precisa dar certo. Você não pode admitir nenhuma falha”
A matéria é da CNN.

O tempo é relativo. Sete minutos pode ser muito quando seu time está ganhando. Mas muito pouco quando está atrás no placar. Pode ser pouco para aproveitar um bom momento, e pode ser muito para quem espera uma definição. Mas uma coisa é absoluta: o terror que pode nos alcançar quando algo muito importante não dá certo em nossa vida. Especialmente aquilo que foi preparado por meses. Ou um relacionamento que foi cultivado por anos. Em poucos minutos, tudo pode ser posto a perder.

Felizmente, ao contrário da missão da Phoenix, nossas falhas têm volta. Os 360 minutos de terror em que Jesus Cristo permaneceu pendurado na cruz - a missão mais importante que já existiu - nos garantem, por todas as horas de nossa vida, possibilidade de recomeço. Tentar de novo. Utilizar bem todos os segundos, com paciência e humildade. Especialmente para aquilo que é mais importante.

Não somos uma missão espacial. Mas sim, temos a missão especial de vivermos com Deus. Podemos lembrar sempre que para falha existe o perdão. Para o terror, existe o amor. Para a vida, na fé Nele, podemos exercer o preparo e cuidado com o que realmente importa em nossa vida.

Um dia nossa vida inteira será decidida em poucos minutos. E como eles serão? Que bom se pudermos responder, com confiança: “uma aterrissagem perfeita e segura nos braços do Pai”.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida