Praticar acertos

Fonte da imagem


Caroline era uma jovem e talentosa violinista cuja professora e grande inspiradora falecera. Desde então, ela já não praticava muito e começou a perder um tanto de sua técnica.
Certo dia, o filho da professora ligou dizendo que se ela não se importasse de ir toda a semana até sua casa, ele gostaria de continuar as aulas que sua mãe conduzia. Caroline ficou animadíssima e prontamente aceitou.
No sábado da primeira aula, no carro, nervosa, a jovem comentou: “Ai, mãe, acho que ele vai me ouvir e me mandar embora tentar outra coisa. Ele vai me achar péssima...”. Mas a mãe a acalmou com palavras encorajadoras.

Depois de 15 minutos de aula, o professor sugeriu um descanso. Mesmo com as instruções dele, a moça sabia que não tinha tocado tão bem quanto conseguia no passado. Tomando o violino dela nas mãos, o jovem professor comentou.”Caroline, você é uma boa violinista e pode se tornar uma grande virtuose. A escolha é sua. Mas você precisa lembrar-se sempre de uma coisa: Não pratique seus erros”.


Claro, é por isso que às vezes algumas coisas não dão certo. Insistimos naquilo que não deveria continuar, em vez de procurarmos a alternativa que pode mudar. É por isso também que certas pessoas, com o passar dos anos, não acumulam experiência. Apenas repetem um mesmo ano muitas vezes.

A prática, na vida, vale mais a pena quando está direcionada ao acerto. Aí sim, nos traz experiência. O erro já vai acontecer por si, não precisamos nem nos esforçar.

Não é fácil, é verdade. Assim como não o é tocar violino.
Mas não é possível tocá-lo?
A vida, também.

Seguindo a partitura das orientações de Deus, sempre certas e seguras, podemos praticar acertos, evitar muita desafinação. Compor novas idéias, fazer bons arranjos para o coração.
E ainda, como um instrumentista que pratica para acertar, proporcionar bons sons aos que nos vêem praticar.

Fonte da ilustração
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Inveja e justiça