Conceitos

Diz a lenda que certa fábrica de calçados instalou uma filial numa cidade do interior. E, nas primeiras semanas de atividades, algo estranho começou a acontecer.
Sempre que chovia, boa parte dos empregados, se não quase todos, não aparecia. Mas se saísse sol, lá estavam eles batendo cartão. O diretor ficou intrigado com aquilo e resolveu descobrir o porquê. E conseguiu.
Acontece que essas pessoas tinham histórico ligado à agricultura, gente vinda da vida rural. Para quem trabalha no campo, dia de trabalho é somente quando tem sol. Em dias de chuva, o jeito é ficar em casa, quem sabe perto da chaleira e do fogão.

A força de uma cultura... É, nossos conceitos e pressupostos podem ser mais fortes do que aparentemente pensamos. E como!

O lado positivo desta força é ficarmos firmes nos conceitos corretos. É não abrirmos mão do que é mais importante. Nâo deixarmos que fé, principios, verdade, amor, e tantas outras coisas boas sejam tiradas de nosso ser. Pois nos dão a base de que precisamos para as mudanças, que não param de acontecer.

O lado não tão bom surge quando repetimos modelos, sem mais muita reflexão. Alguém propõe algo e já sabemos que vai dar errado. Outro quer fazer uma atividade e, como já fizemos antes, sabemos que não vai adiantar. Surge uma oportunidade de vida e nosso gatilho rápido já sabe que é tiro errado.
Nos relacionamentos, também. Antecipamos olhares e pensamentos. Colamos rótulos nos que fogem ao nosso padrão. Criticamos estilos de vida, chegamos a muitas conclusões. Nem todas certas e nem adequadas a todas ocasiões. Nossa cultura interna pre-decisiva, em alguns momentos, nos garante tanta certeza que o pensamento e a fala já entram em ação. E, não poucas vezes, vamos ao encontro da escolha errada.


(Talvez seja uma espécie de ‘sindrome Big Brother’. Saimos avaliando, condenando e eliminando pessoas sem ir além do superficial, e não descobrimos motivos, jeitos, o lado interno, o verdadeiro outro. Mas nossos brothers, as pessoas com quem nos relacionamos na realidade, não precisam de show. Apenas consideração, respeito, sinceridade. Nossa fé em ação, para vivermos além do que se vê.)

Um jeito bem mais interessante de calçarmos, tanto nossa vida como a de quem está perto, de doses generosas de carinho e consideração é trabalhar para mudar os conceitos que precisam de uma nova direção. Fazermos esforço no sentido contrário àquilo que prejudica o coração. Vivermos a fé que Deus nos deu, que é força sempre segura para o trabalho da vida diária.

Pois ela acontece sempre, e precisa do nosso empenho. Sob a chuva ou debaixo do sol
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Inveja e justiça