Chegar

Um grupo navegava o Rio da Prata de volta a Montevidéu, após conhecer Buenos Aires.Em determinado momento, a embarcação começou a balançar mais do que o normal. No lugar onde todos estavam, não havia visibilidade para fora, mas a dedução foi rápida: tempestade.

E o barco balançou. De verdade. Como conseqüência, os integrantes da equipe começaram a passar mal. Alguns, bem mal. Na chegada, rapidamente uns saíram para tomar ar fresco, enquanto outros sentavam-se em bancos ao ar livre. Alguns mal conseguiam se levantar.

Observando a cena, o lider do grupo comentou com quem estava perto:
-Nossa, foi de dar medo...
O outro respondeu:
-De fato... E eu fico pensando: se quase todos passaram mal dentro do barco, imagine se alguém estivesse fora dele...
- Mas, mesmo com toda a dificuldade, felizmente o principal aconteceu - tornou o líder.
- O principal? E o que é?
- Chegamos seguros ao outro lado.

É inevitável, você vai balançar. Em vários momentos. Afinal, o rio de ouro da sua vida não é feito só de passagens tranqüilas, mas também de momentos turbulentos. Em alguns, não se enxerga nada direito. Só se navega.Como você o está atravessando? E pra onde?

É bom poder contar com uma embarcação segura. Quando estamos com Cristo, estamos bem. Está certo, podemos sentir medo, podemos até enjoar. Mas não vamos parar. Porque sabemos que sempre há um lugar seguro após navegar no escuro. Sempre há espaço onde rever a calma e recuperar as forças. Sempre há ar fresco após a angústia da falta de ar.É ali, dentro do barco, protegido do vento, perto do coração de Deus. Com um ingresso de graça, fé.

Este é o jeito certo de chegar ao outro lado. Dentro do amor, amor, cuidado e direção do nosso Piloto. Não é promessa de somente águas tranqüilas. Mas é a promessa precisa daquilo de que mais precisamos:
Chegar.
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Inveja e justiça