Não

A menina conversava com a mãe sobre o porquê de muitas coisas na vida serem negativas. "Não pode" isso e aquilo, "não faça" determinada coisa, "não perturbe"...
-Até os mandamentos na Bíblia, mãe. Praticamente todos têm "não" no começo.
-É verdade. Mas, filha, quantos mandamentos são mesmo?
-Dez, mãe.
-Agora pense em todos os 'sim', tudo o que nós podemos fazer. Se Deus fosse escrever todos eles, quantas Bíblias seriam necessárias?...

É verdade. O Pastor Donato Pfluck, de Alvorada, trouxe a reflexão numa reunião hoje pela manhã. Se é certo que muitos se queixam do "não", especialmente na educação das crianças, é inegável sua utilidade e a praticidade. Pense no número de placas nas ruas, de páginas nos códigos, de folhas nas agendas escolares, de parágrafos nos estatutos e regimentos de instituições, se optássemos por escrever o que podemos fazer. Não acabava mais.

Acabamos nos dando conta, assim, que o mundo não é tão negativo quanto pensamos. Ao dizer não para uma criança, não estamos negando todos os sim de possibilidades que ela tem. Ao dizer não a um amigo, continuam valendo todos os "sim" da amizade. Ao recebermos um 'não’ da vida, muitas outras oportunidades continuam nos esperando.

Se Deus nos diz alguns "não", como nos dez mandamentos, não dá nem pra comparar com todas as possibilidades, as afirmativas, as chances de conquistas, lutas e experiências que Ele também dá. Amar, viver, aprender, deixa rum legado, sorrir, olhar, tocar, correr, descansar, conhecer, entender, chorar, rir, ajudar, estender, torcer, apaixonar-se, ... tudo bem, eu paro por aqui pra manter o post pequeno.

Às vezes a vida parecer um eterno "ene-a-ó-til". Mas olhe para dentro, para cima, para os lados. Tem sempre muito mais possibilidades que continuam ali, esperando você entrar em ação.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração