Recall

Você compra um carro e ele apresenta defeito. A fábrica, então, faz um recall.

O que você faz? Senta e lamenta o resto da vida a má sorte, o erro do funcionário, a &¨%¨# da fábrica, ou vai lá, troca, e fica feliz com seu carro com tudo certo?

Algumas coisas na vida são mais importantes que carros. Ela têm a ver com a essência. Só que há peças com defeitos, o que é inato a cada ser humano - você conhece alguém que não tenha? E por isso, não faltam supresas e dificuldades para dirigirmos e acertar.

Pois é, mas e agora, o negócio é sentar e chorar a má sorte? Reclamar da vida? Tentar achar quem é o culpado de fazer com que você seja este pobre e azarado ser humano?

Não creio. Um carro custa dinheiro, tá certo, mas é um carro. Dá até pra viver sem. Se por ele a gente seria capaz até de mover um processo para tê-lo inteiro, porque às vezes aceitamos uma vida pela metade? Um casamento mal acabado? Um relacionamento familiar esperando o recall? Um vício destruindo nossá máquina da vida?

A culpa não é do Fabricante. Errar é humano, não Divino, mas mesmo assim Ele fez o recall. Em Cristo, ele quer consertar cada modelo defeituoso, todo aquele que não se julga são, mas suficiente humilde para reconhecer a necessidade deste reparo. E é mais do que um simples retoque, é uma geral. Pra viver a vida certo, tunado, pronto para seguir caminho. Afinal, de nada vale estar na estrada certa se ficarmos sentados ou parados nela.

Este recall é diário e não custa nada. Então aproveite, antes que o mais importante em sua vida - mais importante mesmo, essencial - estrague, se perca, vire ferro-velho. Com tanta oportunidade à mão não é preciso se arriscar a ficar empenhado no meio da estrada.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração