Fazer o bem

Gostei bastante do texto "O poder da vítima", da Rosana Hermann, e enviei para alguns amigos. Um deles, o Rafael Dias, da banda da Capela, comentou de volta. Uma das frase foi: "Como ser bom, como fazer o bem sem a intenção de receber algo em troca, como elogios ou até mesmo uma paz interior??? Dessa maneira, fazer o bem é também uma forma de egoísmo."

Ele entrou num assunto onde às vezes há uma certa confusão. Sentir-se bem por fazer o bem é errado? Lembro que, em um episódio do seriado 'Friends', a personagem Phoebe tenta provar que é possível ajudar o outro sem sentir-se bem. Falhou. Não dá pra fazer o bem sem acharmos bom.

Mas quem disse que isso é errado? Jesus disse "ame ao próximo como a si mesmo", não mais, nem menos. O problema está em fazer o bem pensando em si - egoísmo. Fazer o bem pensando no outro, sem medo de sentir-se bem por isso - este é o altruísmo. Algum problema?... Só Deus consegue fazer o bem sem sentir nada em troca. O que Jesus fez pela humanidade é o único fazer o Bem com apenas um sentido vetorial. Só que Ele é perfeito, e isso é outra história.

O mais importante é manter a humildade o quanto possível. Um bom termômetro para isso é pensar ao agir: "Farei isto mesmo que não me elogiem, só pelo fato de que quero fazer algo bom?"

Ah, e é importante lembrar que, segundo a Bìblia, não é fazendo algo de bom que eu construo minha paz ou minha ligação com Deus. Pela fé, já sou dele, com plena paz e alegria. O que as boas atitudes fazem, a partir daí, é mostrar essa fé e paz ao outro, agregando mais momentos felizes à felicidade que já tenho no coração.

O que mostra que felicidade não é um estado de espírito, mas um jeito de viver - com a fé em Deus no centro. O que sentimos ao fazer o bem é um "estar feliz". E isso é bom. Agregar vários "estar feliz" ao "ser feliz" com Ele pára com a busca pela felicidade para a vida. Pois ela já vai estar lá.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida