Time


É , o Brasil já virou freguês da França. Quem diria, dos quatro times em quem apostei na semi-final, o que tinha mais certeza foi quem ficou pelo caminho. Acertei 75% do meu prognóstico das semi-finais.

Várias são as opiniões sobre o que aconteceu ontem. Vou arriscar a minha, dizendo que não foi só ontem que as coisas não foram bem. A Seleção Brasileira me pareceu retalhos de tecido sem costura, massa de pão francês sem fermento - faltou time, faltou união. Não era um grupo, uma família, Basta comparar com Portugal, por exemplo. Se bem que comparar Parreira e Felipão é covardia.

Noto isso numa cobrança de falta, onde três brigam para bater. No toque de bola sem objetividade, sem solidariedade durante os 90 minutos. Na disposição de muitos atletas que já não tem mais nada a perder, ou a ganhar. Na falta de qualquer sombra de liderança dentro de campo.

Pelo menos meu segundo time, Portugal, passou. E o terceiro, Alemanha, também. Estou, portanto, com 50% de chances de ser campeão.
6 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Inveja e justiça