A linha

Foto: Uol.


Acontece às vezes de, ao comentarmos fatos como os do atual cenário político brasileiro, haver quem diga "mas quem é você para julgar? Ninguém é perfeito"

De fato, não somos ninguém para julgar. Mas para verificar frutos, sim. "Pela fruta se conhece a árvore", disse o Mestre Jesus. É dever cristão e humano não concordar com atitudes públicas que infringem princípios básicos e claros. E isso vale diante do espelho também.

Por isso que não dá para não pensar em "fruto podre" quando se observa atos de vandalismo como o de ontem na Cãmara em Brasília. Tudo bem que muitos brasileiros até pensam em fazer algo igual, mas entre pensar e agir, existe a vontade humana, que é justamente o que mais nos distingue dos animais que agem por impulso, e que tenta separar, na medida do possível, o imaginável do exeqüível.

Mas quando começa a ficar difícil traçar esta linha, vai ficando mais difícil também compreender a causa.
7 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Inveja e justiça