06.06.06

Está no Apocalipse, "o número da besta é número humano, 666" (capítulo 13, versículo 18)

Está no calendário - se ignorarmos os zeros, ele também aparece. E se pegarmos o relógio, acontece duas vezes. Só faltava hoje ser sexta-feira.
No caixa eletrônico, senha de seis dígitos. No Brasil inteiro, quase só se fala no Hexa, o 6° título mundial no futebol. Pra ficar no tema do momento, na "Santa Ceia" de Da Vinci, os 12 apóstolos são divididos ao meio, seis para cada lado.

Mas, pra deixar bem claro, não tem NADA a ver. Se o número da besta é humano, também é o número de salvos, segundo o livro (144 mil), e a cor da roupa deles, símbolo de pureza(branca). As figuras do último livro da Bìblia pertencem a ele mesmo. Não se exporta para contextos diferentes. Procurar o número em placas de carro, códigos de barra e datas do calendário para atribuir significados misteriosos ou malignos não passa de diversão matemática ou de falta de conhecimento mesmo.

O 6, repetido duas vezes, é um contraste com a soma 3(Deus) + 4(mundo, ser humano) = 7, na Bíblia, número simbólico de perfeição, algo completo. Daí "6" ser o número símbólico da besta, por ser "quase 7", "o querer ser igual a Deus".

Nâo há o que temer ou especular. Também neste dia 06.06.06, o Deus Triúno é quem nos acompanha no Caminho único da fé.


Quanto a se o hexa vem, bom... seis lá. O que você acha?
2 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida