My One


Neste fim-de-semana acompanhei um trecho do programa da MTV chamado My own - numa tradução livre, "minha propriedade", ou simplesmente, "só meu". Fãs de um determinado famoso(a), sabendo que dificilmente terão uma chance com o próprio, contentam-se em escolher alguém parecido. No programa a que assisti, por exemplo, uma moça, fâ do cantor Omarion, tinha diante de si seis "semi-Omarions", para escolher um como alternativa de companhia e, quem sabe, casamento?

Se em termos de escolha do parceiro/namorado esta lógica pode ter lógica, não dá pra aplicar o mesmo para a fé, apesar de, pelas escolhas que se vê em nosso mundo, a tentação ser grande: aceitar qualquer coisa que se pareça com Deus no lugar do Próprio.

Afinal, para que trocar se podemos ter o original, autêntico - e insubstituível? Até porque, apesar de ser conhecido no mundo todo, ele não é um "famoso inacessivel". Jesus está disponível para unir-se a quem nele crer, por toda a vida, e de maneira completa. Pela fé, nós somos his own * , o que nos dá a certeza de que, pela vida, podemos tê-lo não apenas como my own. Ele quer tamém ser My One **.



*sua propriedade

** Meu único/especial
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Inveja e justiça